quinta-feira, 31 de julho de 2014

MOÇAMBIQUE 2014 - I - BEIRA & SENA

 Pastor André Plamer veio de São Paulo, Brasil,  e Pastor Carlos Walter Winterle veio da Cidade do Cabo, África do Sul, e nos encontramos no aeroporto de Joanesburgo, onde pegamos o voo para Beira, Moçambique, para mais um curso intensivo da ETE – Educação Teológica por Extensão, oferecida pelo Seminário Concórdia aos candidatos ao ministério em Moçambique. Era o dia 4 de julho de 2014 quando chegamos à tarde em Beira, dando tempo para comprar material escolar para os alunos, e água, frutas e biscoitos para enfrentar a viagem no dia seguinte até a Vila de Sena.
 
 Não paramos em hotel, como das outras vezes em que estive em Beira, mas ficamos hospedados numa Pensão para Missionários, a Beach House (Casa da Praia). Segundo o livro de hóspedes, muitos missionários renomados ficaram hospedados nesta casa durante as últimas décadas.
 A casa deve ter tido seus tempos áureos, talvez antes da guerra civil em Moçambique. É um velho casarão português, com vários quartos e banheiros coletivos. A construção está um tanto deteriorada, mas está passando por uma boa reforma geral.
 O administrador, pastor Anacleto, nos acolheu muito bem. Pastor André já havia ficado hospedado nesta casa no ano passado e já é amigo da família hospedeira. Esta pensão me foi recomendada pelo pastor Anézio, um missionário brasileiro que vai seguido a Moçambique. Nos encontramos num voo do Quênia a Moçambique há alguns anos atrás.
 
 Esta é a praia que dá nome à pensão.
 Canoas rústicas, feitas de um único tronco de árvore, estão espalhadas por toda a praia...
 ... e peixes são vendidos de manhã cedo na rua em frente à pensão.
 Um detalhe interessante junto ao portão: Enormes aranhas teceram uma teia gigante de uma árvore à outra. Parecia que as aranhas estavam pendentes do céu.
 Tivemos a felicidade de encontrar uma pequena loja da Socidade Bíblica de Moçambique em Beira, com vários produtos da Sociedade Bíblia do Brasil. Esta descoberta é de grande valia, pois nossa preocupação era: Como levar Bíblias para todos os convertidos na Vila de Sena e arredores? Trazer do Brasil fica muito caro devido ao custo do frete. Encomendar da capital Maputo, que fica bem ao sul do país, seria problemárico devido às dificuldades locais do serviço de correio. - Aproveitamos e compramos 100 Novos Testamentos na língua Sena, que foram distribuídos entre os líderes das diversas congregações. – Fica aqui uma dica: Se vc. quer doar Bíblias para Moçambique, envie sua doação diretamente à Igreja Evangélica Luterana do Brasil – IELB, que sua doação será convertida em Bíblias compradas em Moçambique. Mande um e-mail para: IELB - Tesouraria tesouraria@ielb.org.br e receberá as orientações para fazer o depósito específico.
 Sábado de manhã estávamos prontos para enfrentar a estrada até a Vila de Sena: 500 km de asfalto com muitos buracos e desvios, mais um trecho de estrada de chão. O fiel motorista do Projeto Kuwangisana, sr. Micas, que já nos havia levado de Beira a Sena outras vezes, veio nos buscar na pensão. Foi muito bom reencontrar este bom amigo! Levamos mais de 10 horas para chegar em Sena. Já era noite quando chegamos.
 Fomos hospedados neste pequeno hotel, - que já havia me hospedado da primeira vez em que estive em Sena em 2010.
 Nada havia mudado nos quartos; pelo contrário: se a torneira estava funcionando, o chuveiro não funcionava; se  a descarga estava funcionando, o ar condicionado não funcionava; se a TV estava funcionando, a geladeira não funcionava... Troquei de quarto três vezes durante a semana em que fiquei hospedado. Mas sobrevivi sem maiores problemas.
 
 Às vezes tomamos nosso café da manhã e jantamos neste pequeno restaurante ao lado do hotel.
 A comida era preparada nesta cozinha.
 
 O hotel fica localizado na rua principal da Vila de Sena...
 ... próximo à feira livre diária.
 Pessoas costumam varrer a rua e a área da feira cedo de manhã...
 ...levantando grande nuvem de poeira, que obriga os transeuntes a se protegerem da poeira. A poeira acaba se acumulando sobre os produtos expostos...
 Boas bergamotas (mexericas, tangerinas...) podiam ser compradas, e sempre adquirimos algumas para a hora do lanche durante o curso.
 Era interessante ver as pessoas indo e vindo para a feira com seus produtos,...
 ...muitas vezes transportados pelas mulheres sobre a cabeça: lenha para fogo...
... roupas, comida, água em recipientes plásticos... Bem, esta parte inicial do blog é só uma introdução do lugar e de alguns costumes locais.

Um comentário:

Maria Genice De souza silva Deodoro disse...

Meu nome é Genice. Sou luterana. Brasileira. Eu fiquei muito feliz ao saber do trabalho desenvolvido na África do Sul que Deus continue abençoando a todos e em especial aos que estão em missão.