sábado, 12 de setembro de 2009

SAFARIS NO QUÊNIA: OS MAASAIS

– Fomos visitar uma aldeia Maasai. Os maasais são umas das muitas tribos que formam o Quênia e a mais conhecida e popular. Preservam os costumes e tradições dos seus antepassados, mesmo em contato com a civilização. Muitos moram dentro e ao redor da Reserva Maasai Mara. (Na foto: fazendo fogo com o sistema de fricção de madeira)
Sua principal atividade é a criação de gado e suas casas são feitas do esterco do gado. (Detalhe da casa)

– Começaram a dançar e a primeira a “entrar na roda” foi a Martina. Depois ela confessou: “Naquele momento me senti como se fossem me colocar no caldeirão...”)
O troféu do guerreiro é a juba do leão que ele matou para mostrar que já é homem adulto. Um por um foi convidado a entrar na roda de dança e pode colocar o “cocar” de leão na cabeça por alguns instantes.
A dança dos pulos é um desafio para ver quem pula mais alto. Os melhores são os mais admirados pelas mulheres!!!!
Também fomos desafiados a pular, enquanto todos cantavam.
Depois as mulheres também cantaram no pátio interno da vila, construída em círculo e cercada com espinhos secos para impedir a entrada de animais ferozes à noite. No centro é guardado o gado durante a noite... podem imaginar a quantidade de esterco que havia ali onde caminhávamos...

Lidia e Martina foram convidadas a dançar com as mulheres também.

Fomos convidados e entrar numa das casas e ouvir um pouco das suas histórias e tradições.

Martin recebeu uma manta maasai de nosso amigo Mbandi (veja adiante).

Foto para a posteridade!

Mbandi foi nosso guia maasai na primeira vez que visitamos o parque Maasai Mara. Sabendo que ia encontrá-lo, levei um hinário luterano na língua maasai. Muitos dos hinos foram traduzidos dos tradicionais hinos em alemão, tendo a melodia escrita em alemão abaixo do título (como no nosso hinário luterano em português).

Levei também um PROCLAIMER – uma gravação de todo o Novo Testamento, em Swahili, que pode ser usado com energia elétrica, solar, ou a manivela.
Observem a riqueza de detalhes dos massais...

... mais detalhes...

Todo o serviço pesado, como carregar lenha, carregar água, construir as casas, é trabalho das mulheres na cultura maasai. Os homens cuidam do gado e defendem a vila contra os animais ferozes. Os ritos de passagem dos homens são: adolescência, guerreiro, ancião.

Na sua cultura, todo o gado do mundo pertence a eles. E como eram os primitivos proprietários de grandes áreas de terra, continuam considerando suas estas áreas, mesmo que hoje ocupadas pela cidade. Trazem seu gado para a cidade normalmente, muitas vezes interrompendo o trânsito... e os motoristas pacientes esperam. – Esta foto é num importante cruzamento a caminho de nossa casa em Karen.

Levam o seu gado também para dentro dos parques de preservação, afetando a pastagem da vida selvagem. (Este rebanho é no NNP).

Sofrem as conseqüências disto, pois muitas vezes seu gado é morto por leões e outros predadores. Vimos muitas carcaças de vacas no NNP (também devido à grande seca que se abate sobre o país inteiro).

Num os domingo de agosto um grupo maasai veio ao nosso culto no centro de Nairobi. Cantaram durante o culto...

e também após o culto no hall de entrada da igreja...

... dançando à sua maneira primitiva.

Daniel é parte deste grupo “tradicionalista” e é nosso amigo. Ele e sua esposa bordaram as estolas maasais que tenho e nos fizeram alguns outros artesanatos. (na foto: Carol, Daniel e Léo)

Agradecemos a Deus por nos dar esta oportunidade de ver tantas belezas naturais aqui no Quênia e de compartilhar um pouco esta nossa experiência com nossos amigos. Obrigado pela paciência. Se alguém conseguiu ver e ler este Blog até o fim, PARABÉNS! Gostaria que fizesse contato conosco e nos contasse que chegou até o fim: cwwinterle@yahoo.com.br Obrigado e abraços em todos.
Walter e Lídia

7 comentários:

Paulinho disse...

BAH! LI TODO O BLOG! MUITO MUITO SHOW, TUDO!!!! NÃO VEJO A HORA DE CHEGAR AÍ DE NOVO! BJOS

Anderson disse...

Graça e Paz.

Estou indo em viagem missionária para Maputo dia 20 de outubro, mas, antes vou ficar em Nairobi por doze horas. Gostaria de contactar irmãos brasileiros que possam me falar um pouco da cultura e experiências locais até o momento da partida para Moçambique. Não recusarei um convite para conhecer a cidade se houver tempo.
Deus abençõe.
Pr. Anderson
Inglaterra
+44-7864-042-355
ideresgate@hotmail.com

ana isabel disse...

estava fazendo um trabalho sobre o quênia, e encontrei o blog de vcs.
achei muito enriquecedora a experiÊncia de vcs.
muito lindo msm cada detalhe>íncrivel<
bju*.*

ana isabel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Susanna disse...

Estava procurando por animais albinos e achei a zebra albina no seu blog. Acabei lendo tudo, e olhando cada foto com mta atenção. Adorei! Eu e meu marido sempre falamos de fazer uma viagem á algum país diferente, e a Africa é uma opção mt forte! =D Essas fotos e o seu depoimento me enriqueceram mt! Meus parabéns, pela viagem e por ter tido o trabalho de compartilhar com todos! Obrigada! =D Beijos!

cibelicosta disse...

Caro pastor Carlos e irmã Lídia, minha filha, Rebeca Mathias, era da sala do Martin. Por muitos dias ela chorou a perda dele. Ela me disse que ele era um menino muito bom, educado, e que era um servo do Senhor, o que de certa forma nos trouxe algum conforto. As fotos são muito bonitas e a família de vocês é abençoada. Sei que a dor é grande mas tudo está nas mãos do nosso Deus, inclusive a capacidade de superar o sofrimento, e então ficará a saudade, até aquele Dia em que nos encontraremos todos. Um forte abraço, e que o Senhor os abençoe. Cibeli Mathias Colombelli (mãe da Rebeca Mathias Colombelli)

cibelicosta disse...

Caro pastor Carlos e irmã Lídia, minha filha, Rebeca Mathias, era da sala do Martin. Por muitos dias ela chorou a perda dele. Ela me disse que ele era um menino muito bom, educado, e que era um servo do Senhor, o que de certa forma nos trouxe algum conforto. As fotos são muito bonitas e a família de vocês é abençoada. Sei que a dor é grande mas tudo está nas mãos do nosso Deus, inclusive a capacidade de superar o sofrimento, e então ficará a saudade, até aquele Dia em que nos encontraremos todos. Um forte abraço, e que o Senhor os abençoe. Cibeli Mathias Colombelli (mãe da Rebeca Mathias Colombelli)