sábado, 5 de maio de 2007

Contrastes - 7 - Kibera, a favela (b)

"Lata d'água na cabeça, lá vai Maria, lá vai Maria..." e "Barracão de Zinco" não existe só no Brasil. Tentei comparar com as favelas brasileiras... é difícil... miséria é miséria em qualquer lugar do mundo. Mas algumas coisas me chamaram a atenção: Vi gente de terno e gravata indo para o trabalho; as crianças não são subnutridas nem "barrigudas" de vermes, como normalmente a mídia mostra as crianças da África. Parece que alimentação não é o maior problema, pois onde se olha tem barraquinhas vendendo frutas, verduras, batata, etc. além de um monte de outras bugigangas.
Bem, amigos, este grande contraste aqui ainda me choca bastante e tento compreender; mas não consigo. É um país com boa gente, que trabalha bem, com excelente clima, bons recursos naturais (o solo é rico)... às vezes parece que estou no Brasil!!!!
Até a próxima.

Um comentário:

leila disse...

Winterle. Ler a respeito dos contrastes que vc percebeu no trabalho da congregação foi muito interessante. Vc comenta que não compreende porque são tão pobres ou vivem nas favelas, mesmo trabalhando direito e vestindo-se de forma adequada. Percebo algo semelhante em Maceió. Penso quqe a gênese do processo possa estar na forma de colonização e domínio. Vejo o povoalagoano muito submisso e pouco faz reivindicações e acho que nem se dão conta de que têm direitos, tão costumados que foram a somente obedecer...
Um abraço, Leila